À medida que os filhos crescem, os problemas e as agruras da mãe também crescem. Tem as birras, as manhas, os pitis...

Tem as escapadelas, as correrias e é sobre isso que eu vou falar. No sábado fomos a um evento e Alice e uma amiguinha estavam correndo na minha frente, indo na direção do pai dela e do nosso grupo de amigos. Eu, andando, passos apressados, logo atrás. Uma pessoa passou na minha frente... mais uma... e de repente, quando olhei para a frente, onde estava Alice e a amiga, que antes corriam de mãos dadas? Quem vê a carinha dela acha que ela é incapaz de estripulias, teimosias e pitis.

Perdi o chão e a noção. Consegui chegar até onde meu marido esta
va e falar (baixinho, apenas pra ele) que Alice tinha saído correndo e eu não sabia onde ela estava. Um amigo veio ajudar a procurar.

Enquanto eles iam para um lado, eu refiz o caminho umas três vezes. Nada. Fui olhando atrás de cada food truck. Quem sabe elas estavam brincando lá? Nada. Meu coração doía.

Resolvi olhar onde os cantores e as bandas estavam, sim, um backstage. Havia um vagão de trem com mesas e Alice já tinha brincado ali. Tiramos várias fotos. Achei que ela pudesse estar lá. Olhando de longe não via nada. É desesperador. Eu não tinha força nem para chorar, só sabia que tinha que procurar até achar. Fui andando em direção ao vagão. Vi uma criança lá dentro. 
Corri e subi as escadas. Elas haviam entrado no vagão e fechado a porta para que ninguém visse que elas estavam lá dançando. GENTE!!!! Nunca mais tiro os olhos. 

E para as mães que pensam em usar aquelas coleirinhas, pode usar! Não tenha medo dos olhares. Cuide do seu filho como apenas você sabe fazer. E eu espero, de coração, que ninguém passe por isso.



Comentários
0 Comentários

Deixe um comentário